Literatura Fantástica Brasileira

Literatura Fantástica Brasileira

Pirigóticas invadem a literatura fantástica!



Por Oscar Mendes Filho.


*Pirigótica – junção dos termos piriguete e gótica designado para moçoilas que, apesar de vestirem-se de preto e usarem todos os adereços comuns ao gênero gótico, se comportam da mesma maneira como as piriguetes, esfregando-se em membros da literatura. O exemplo está na imagem acima.

Pois é, amigo leitor, não demorou muito para que os popstars da litfan atraíssem um gênero de “mulheres” que até então não era encontrado no meio literário.

Inicialmente elas se dedicavam a frequentar apenas festas góticas e underground, onde encontravam quem pudesse cair em suas garras ensebadas, mas parece que encontraram no meio literário um habitat propício para se fazerem presentes.

Provavelmente o que as atrai são os já citados “escritores galãs” e os “popstars” que estão em alta dentro da literatura nos dias de hoje.

Visto que, aparentemente, estão com os bolsos cheios de dinheiro graças aos seus péssimos livros e às antologias de qualidade medíocre, logo surgiriam as oportunistas para sugar-lhes a suposta riqueza.

Vejam só a que nível chegou a literatura fantástica!

Quando, dentro do meio literário, encontravam-se pessoas sérias e que se davam ao respeito, não havia espaço para esse tipo de gente, mas como a coisa foi sendo avacalhada...

Não havia ostentação, ego super desenvolvido e estrelismo. Não se utilizava o meio literário com outro intuito senão o de levar cultura às pessoas, os autores não xavecavam ninguém em redes sociais ou chat´s, de modo que o meio era formado por pessoas que se davam ao respeito, afastando assim oportunistas de qualquer espécie.

Uma vez que começou-se a bancar o galã em fotos montadas no Photoshop e a proclamarem-se “the masters of literature”, essa espécie foi então atraída.

Sob a alcunha de termos nobres como duque, conde entre outros, e utilizando pseudônimos vigoroso como trovão, demon, caos e etc, esses “escritores” aparentam ser os personagens citados na obra Damien, de Herman Hesse (1877-1962), o que atrai as pirigóticas de estrógeno alterado que buscam encontrar seu “amor demoníaco ou vampiresco”.

E ainda nos perguntam o motivo pelo qual metemos o pau nessa gentinha do meio literário.

Será que não temos razão em nos manifestar?

Entre em contato: litfanbr@gmail.com

pirigóticas



2 comentários:

Pode chorar...